Cultura

Santa Fe se caracteriza por um forte movimiento cultural, produto da ampla diversidade migratória que tem alimentado suas terras. Esta riqueza pode ser percebida ao longo da Província, tanto na vida urbana quanto no campo e no litoral, atraindo, a cada ano, turistas de diferentes pontos do país e do mundo.

As políticas culturais do Governo propiciam uma sólida estrutura que permite o desenvolvimento individual e coletivo. As iniciativas consistem da valorização e programação das infraestruturas culturais de Santa Fe. Há uma promoção da refuncionalização de espaços em diferentes localidades para oferecer um projeto cultural mais equilibrado ao longo de todo o território.

O espaço público surge como igualador de oportunidades, onde o protagonista é o cidadão. É pensado como lugar de integração, criação e jogo. As indústrias culturais facilitam a produção de bens, em um âmbito em que os mesmos podem ser gerados, transformados e apresentados.

Infraestrutura cultural

O Governo da Província de Santa Fe considera que a infraestrutura cultural pública é um elemento indispensável para o fortalecimento da integração cidadã. Por isso, criou novos âmbitos de promoção da criação, intervenção, inovação, transformação e apropriação cultural.

La Redonda, Arte e Vida Cotidiana

La Redonda, Arte e Vida Cotidiana, é um espaço cultural estabelecido sobre uma antiga oficina da ferrovia. O complexo articula o mundo ferroviário e a história dos santafeenses com uma proposta inclusiva e inovadora. Também, introduz os visitantes em um mundo de arte, imaginação e construção, onde o cidadão é protagonista.

La Redonda surge como lugar de espetáculos das mais diversas disciplinas (teatro, música, danças, cinema e artes audiovisuais, exposições) e também como espaço para o desenvolvimento de eventos, foros culturais e conferências.

Este âmbito procura propiciar a participação intensa de todos seus visitantes, disponibilizando espaços de formação e de encontro, oficinas e dispositivos lúdicos. Jogar, descansar, ler, escrever e sonhar são as propostas de La Redonda para impulsionar um processo de aprendizagem e de integração.

El Molino, Fábrica Cultural

El Molino foi construído recuperando um dos edificios fabris mais emblemáticos da cidade de Santa Fe. Está pensado integralmente como um espaço público de encontro da cidadania. É uma proposta que reúne criação e produção. Tem como objetivo ser um centro de formação, experimentação e pesquisa nas formas da matéria e na arte de viver.

A Fábrica Cultural procura a articulação de programas especiais para professores, estudantes universitários e adultos, além de programas de construção intergeracional e vivencial para todas as idades. Plataforma Lavardén Baseada no conceito de cultura viva, a Plataforma Lavardén surge como um espaço de cruzamento de linguagens e expressões artísticas que têm como eixos transversais o pensamento, o corpo, a palabra e a imagem.

Recuperando uma construção arquitetônica patrimonial, Santa Fe abre este espaço para a colocação de questões sobre as necessidades que operam na cidadania em matéria de cultura e educação, propondo uma construção da cultura com os cidadãos e não apenas para os cidadãos.

La Esquina Encendida

La Esquina Encendida é um lugar de vínculo entre criação, formação e protagonismo de todos os moradores, com foco especial nos jovens. Tem por objetivo oferecer serviços para toda a comunidade, apoiar as organizações não governamentais, entidades e grupos, bem como cidadãos em geral que se aproximam das manifestações da cultura, trabalho, esporte, lazer e jogo.

O espaço funciona como um âmbito múltiplo de convivência social para todas as idades em todas as estações do ano. Trata-se de um espaço social, cultural e esportivo que trabalha em sistema com El Molino “Fábrica Cultural” e La Redonda “Arte y Vida Cotidiana”.

El Cairo, Cinema Público

El Cairo é um espaço público que estabelece, através de sua programação, um lugar de intercâmbio e difusão acessível para qualquer tipo de participantes. Esta programação, que expressa a riqueza e diversidade da produção audiovisual contemporânea, se organiza em ciclos, amostras, festivais, estreias e reposição de títulos nacionais e internacionais, enfatizando na formação de públicos e na democratização do acesso aos bens culturais.

Este espaço implica a construção de um novo conceito de cinema, já que sua tela deve ter, ao mesmo tempo, um caráter comercial, alternativo, independente, nacional, local e internacional e deve se orientar a todos os públicos: jovens, adultos, populares e especializados. Daí que a programação desta tela nova e diversa tenha o intuito de ampliar a oferta audiovisual dirigida a uma variedade de possíveis espectadores.